domingo, 22 de maio de 2011

Trotsky, o Estado e o dinheiro

"O problema do dinheiro e do estado possuem vários aspectos em comum, pois ambos se reduzem, no fim das contas, ao problema essencial: o rendimento do trabalho. As coações estatal e monetária pertencem à herança da sociedade dividida em classes que só pode determinar as relações entre os homens com a ajuda de fetiches religiosos ou laicos e coloca esses fetiches sob a proteção do mais terrível de todos - o Estado - um grande punhar nos dentes. Na sociedade comunista, tanto o Estado como o dinheiro desaparecerão. O seu desaparecimento progressivo deve pois começar sob o regime socialista. Só se poderá falar de vitória real do socialismo a partir do momento que o Estado não seja mais que um semi-Estado e o dinheiro comece a perder sua mágica força. Isto significará então que o socialismo, libertando-se dos fetiches capitalistas, começa a estabelecer entre os homens relações mais limpidas, mais livres e mais dignas.

Reivindicações pela “abolição” do dinheiro, “abolição” do salário, ou “liquidação” do Estado e da familia, caracteristicas do anarquismo, só apresentam interesse como modelo de pensamento mecanicista. O dinheiro não pode ser arbitrariamente "abolido", nem o Estado e a familia "liquidados". Eles terão de esgotar sua missão histórica, perder todo o seu significado e desaparecer. O fetichismo do dinheiro só receberá o golpe de misericórdia somente quando o ininterrupto crescimento da riqueza social libertar os homens de sua avareza a respeito do minuto suplementar do trabalho e sua humilhante inquietação quanto à quantidade de rações. Quando perder o poder de trazer felicidade e de lançar o homem no vazio, o dinheiro se reduzirá a um meio de contabilidade cômoda para estatística e para o plano. Mas podemos deixar esta questão para os nossos netos que não deixarão de ser mais inteligentes que nós." - Leon Trotsky, "A Revolução Traída", Capítulo IV

Um comentário:

  1. Andre, o que vc pensa sobre o conflito Trotsky x Stalin?


    Em minha opinião pessoal, prefiro me manter imparcial, porque ambos tiveram seus pontos negativos e suas contribuições para o socialismo (como esse texto mostra)

    ResponderExcluir