sexta-feira, 24 de agosto de 2012

"O projeto marxista é inseparável da ideia de ateísmo"

"A terceira diferença essencial [entre Marx e Saint Simon] vem de Marz ser ateu desde o princípio, assim permanecendo por toda a vida. O ateísmo é fundamental em seu pensamento, e o projeto marxista é inseparável da ideia do ateísmo. Não se pode separar a ideia de desalienação, a de realização do homem nesta terra, da intenção atéia de Marx. Pode-se evidentemente, construir uma economia planificada e acreditar em Deus, isto é óbvio e seria idiota pensar o contrário; mas, se o marxismo for levado a sério enquanto empreendimento filosófico-político, o ateísmo deve ser considerado inseparável, intrínseco. Os saint-simonianos participaram do lançamento de grandes trabalhos industriais, da abertura do canal de Suez, da fundação de bancos, do desenvolvimento das forças produtivas, mas nunca se tornaram um movimento filosófico-político comparável ao marxismo, pois lhes faltava o que foi a glória histórica do marxismo, isto é, a combinação de uma intenção filosófica e de uma intenção política ou, se preferirem, a junção da filosofia com os proletários¹. " Raymond Aron em "O MARXISMO DE MARX", Arx. São Paulo, 2008, pg. 269

¹Temática muito presente no "Jovem Marx", especialmente no "Crítica da Filosofia do Direito de Hegel", onde ele aponta o proletariado como "portador material da filosofia"(lembrando que nesse caso falamos de um Marx hegeliano e que ainda não havia desenvolvido uma ideia de "autonomia do proletariado" enquanto "força ativa", porém acredito, como Aron, que esta intenção filosófica se conserva no marxismo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário